Entrevista: Renato Greidanus, presidente da Frísia

O presidente da Frísia Cooperativa Agroindustrial, de Carambeí (PR), avalia a aplicação da filosofia lean em propriedades cooperadas, a partir de um projeto que fomentou a implantação do Sistema MDA em fazendas produtoras de leite.

Qual a relevância estratégica do projeto para a Cooperativa?
Do ponto de vista estratégico, o desenvolvimento da gestão das propriedades é fundamental para melhorar os resultados do produtor e, por consequência, da Cooperativa. A Frísia sempre apoiou o produtor em várias atividades dentro da propriedade, com assistência técnica, financeira, comercial, entre vários outros aspectos. Mas havia uma lacuna na área de gestão. O projeto visava, então, criar oportunidade para que os produtores mudassem de patamar nesse sentido .

Nesse contexto, o Sistema MDA foi visto pela Diretoria da Frísia como um caminho para aperfeiçoar a gestão das propriedades?
Sim, queríamos subir a régua, tornar a gestão um ponto de atenção do nosso cooperado, profissionalizar a produção. Precisávamos de um modelo que permitisse mensurar desempenho, trabalhar o planejamento estratégico e dar suporte à tomada de decisão, capaz de auxiliar tanto o nosso corpo técnico quanto o cooperado. O Sistema MDA oferecia isso. Hoje temos dados, números palpáveis, que nos permitem tomar decisões de maneira mais segura. Da mesma forma, o produtor passa a administrar o negócio com mais tranquilidade, pois consegue enxergar à frente, em condições melhores para decidir.

Concluídas as primeiras etapas do projeto, qual a avaliação da Diretoria quanto a seus resultados?
Já percebemos, nesse curto espaço de tempo, que houve uma melhoria significativa nas propriedades que aderiram ao projeto e implantaram o Sistema MDA. Sentimos uma evolução grande nesses produtores e nos seus resultados. Internamente, nossos técnicos estão completamente envolvidos, trabalhando em um modelo de assistência ao cooperado que tem o MDA como base, o que garante eficiência.

Os técnicos, inclusive, têm atuado como multiplicadores do Sistema MDA, certo?
Exatamente. Acreditamos que por meio da equipe técnica será possível replicar os conceitos, ferramentas e práticas do MDA entre os cooperados que não participaram dessa primeira etapa. Assim podemos avançar de forma gradativa, a partir do nível de gestão em que o cooperado se encontra e do perfil de cada produtor.

Em que medida o projeto fortaleceu a relação entre a Frísia e os cooperados que participaram?
O primeiro ganho é de proximidade. Quanto mais próximos estivermos do nosso cooperado, maior a sensação de pertencimento, de fazer parte de um grupo. Ao utilizar um modelo de gestão, como o Sistema MDA, além de capturar resultados técnicos e financeiros, o produtor passa a se aproximar mais da equipe técnica e da Frísia como um todo. Sem dúvida, esse processo fortalece muito nosso relacionamento com o cooperado.

(Publicado originalmente em dezembro de 2017, na revista “Gestão da Fazenda” - publicação produzida em parceria por Clínica do Leite e Frísia).

agro+leanComentário