Por que você deve parar de buscar felicidade no trabalho

Pesquisa mostra que priorizar o propósito traz uma sensação maior e mais frequente de bem-estar.

Se o ser humano passa em média 90 mil horas de sua vida trabalhando, é melhor que ele encontre uma profissão que lhe faça feliz, certo? Não necessariamente, ao menos segundo artigo publicado por Susan Peppercorn, na Harvard Business Review. A  executiva e autora do livro “Abandone seu crítico interno no trabalho: estratégias baseadas em evidências para prosperar em sua carreira”,  crava: “Se você definir a felicidade como seu objetivo principal, pode acabar sentindo o contrário. A felicidade (como todas as emoções) é um estado fugaz, não permanente. Uma solução é tornar o propósito sua verdadeira vocação”.

Pesquisas corroboram o ponto de vista de Susan e confirmam que tornar o trabalho mais significativo é uma das formas mais poderosas de aumentar a produtividade, o envolvimento e o desempenho dos funcionários.

Um levantamento realizado pela Harvard Business Review em parceria com a The Energy Project com cerca de 12 mil executivos de diferentes empresas mostra que aqueles que enxergam algum propósito em sua atividade sentem 1,7 vez mais satisfação no trabalho, tornam-se 1,4 vez mais engajados, e, portanto, têm três vezes mais chances de  permanecer no emprego atual. Já um estudo mais recente, comandado pelo professor de Harvard Shawn Achor, descobriu que nove entre dez pessoas estariam dispostas a trocar uma porcentagem de seus ganhos ao longo da vida por um trabalho com mais propósito.

Segundo Susan, viver com propósito não torna uma pessoa, necessariamente, feliz no curto prazo. Atividades do tipo podem ser até mesmo mais estressantes e financeiramente menos compensadoras. Mas ter um propósito faz com que o ser humano passe a contribuir com os outros e, ao mesmo tempo, honre sua identidade e seus valores pessoais, o que quase sempre aumenta a sensação de bem-estar no trabalho de forma constante e duradoura.

E como “virar essa chave”? Fazer do propósito a sua prioridade no trabalho? Susan indica quatro passos práticos que podem ajudar nessa missão:

1. Escreva um diário de atividades
Identifique projetos e tarefas que fazem você se sentir profundamente satisfeito (e não só no curto prazo) e anote quais são e o que você fez neles. Você pode se sentir realizado ao fazer apresentações para seus clientes ou ao orientar e treinar funcionários mais jovens, por exemplo. Todo tipo de atividade vale o registro.

2. Alinhe seus valores ao escolher o que priorizar
A ideia é colocar seus valores em primeiro lugar. Se o autodesenvolvimento for um valor central para você, por exemplo, não se contente apenas com os poucos momentos que você consegue sair da rotina e se aprofundar em algum tema. Invista em rituais diários, como ouvir podcasts, fazer um curso ou se juntar a um grupo de mentores.

3. Concentre-se nos relacionamentos
Contribuir com o bem-estar do outro está fortemente ligado à criação de propósito no trabalho. Por isso, é importante priorizar a relação com seus chefes e colegas de trabalho para além do cumprimento das tarefas em si.

4. Valorize o trabalho dos outros
No mesmo espírito de solidariedade, ajudar as pessoas que trabalham com você a identificar as atividades que eles realizam de forma autêntica e significativa ajuda aumentar a sensação de bem-estar e fortalece a ideia de propósito como uma prioridade. No livro Alive at Work, de Daniel Cable, a sugestão é que você chame um colega para conversar, compartilhe uma história em que ele fez o melhor trabalho possível e depois peça para ele retribuir.

Fonte: Época Negócios - 31/07/2019 - https://epocanegocios.globo.com/Carreira/noticia/2019/07/por-que-voce-deve-parar-de-buscar-felicidade-no-trabalho.html

agro+lean